segunda-feira, 30 de maio de 2011

Técnico iraniano é chamado de terrorista por torcida adversária no derby de Shizuoka

Quando dois grandes rivais se enfrentam em um clássico regional, é normal as torcidas ficarem mais exaltadas e as provocações correrem de um lado a outro. Shimizu S-Pulse x Júbilo Iwata, também chamado de "derby de Shizuoka", é uma das maiores rivalidades do Japão. No duelo entre as duas equipes neste sábado, pela 13ª rodada da J-League, alguns torcedores do Júbilo passaram do limite entre uma provocação e um gesto que pode ser interpretado como ofensa racista.

"Ghotbi, pare de fazer armas nucleares" / Foto: Barry Valder

Na foto acima, está escrito na faixa que está no meio: "Ghotbi, pare de fazer armas nucleares". Uma mensagem direcionada a Afhsin Ghotbi, técnico iraniano do Shimizu, fazendo alusão ao programa nuclear do Irã. Uma "brincadeira" infeliz que deixou furiosa a torcida adversária e provocou muita confusão e empurra-empurra. No Japão, brigas nos estádios é algo que quase nunca acontece, até por isso o número de crianças, mulheres e famílias que vão aos jogos é muito grande. Até torcidas saem juntas no final das partidas sem que problema nenhum aconteça.

Desta vez, a situação por pouco não saiu do controle. Segundo Barry Valder, dono do blog UK Ultras e torcedor do Shimizu que presenciou a cena, alguns torcedores ficaram tão enfurecidos a ponto de dar a volta até o outro lado do estádio para reivindicar a faixa. A discussão teria durado meia hora e aconteceu antes do início da partida.

Vários torcedores do Shimizu, revoltados, invadiram a área da torcida do Júbilo / Foto: Calvin Bauzon

Dois adolescentes foram identificados como responsáveis pelos dizeres ofensivos e encaminhados para prestar esclarecimentos à polícia. "Fizemos sem pensar", disse um deles. O Júbilo Iwata pediu desculpas formalmente em um nota divulgada em seu site. O presidente do clube declarou que medidas serão tomadas para que isso não ocorra novamente. E antes que alguém pergunte, o jogo terminou 0x0.

domingo, 29 de maio de 2011

Urawa Reds 1x1 Albirex Niigata: Decepção é a rotina em Saitama

Edmilson desencantou e fez seu primeiro gol no ano, mas não foi o suficiente para os Reds / J. League Photos

O Urawa Red Diamonds é o time mais rico do Japão, tem a maior média de público (ano passado teve quase 40.000 torcedores por jogo, mesmo com uma campanha ruim e um modesto 10º lugar), joga num dos melhores estádios do país e já se auto-entitulou "o maior time da Ásia" poucos anos atrás. Porém, a ambição da diretoria em comprar os melhores jogadores disponíveis e deixar para segundo plano o lado coletivo já causou muitas derrotas históricas e frustrações aos torcedores. Neste ano, mais uma vez o Urawa não teve medo de abrir os cofres e, entre várias contratações, a principal dela foi Marcio Richardes, meia que chegou do Albirex Niigata com status de estrela e possivelmente de melhor jogador estrangeiro da liga.

Apesar de não ter sido apontado como um candidato ao título, o torcedor poderia esperar que o time brigasse pelo menos por uma vaga na Liga dos Campeões da Ásia. Depois de uma decepcionante derrota contra o Vissel Kobe na primeira rodada, um convincente 3x0 contra o atual campeão Nagoya Grampus deixou a torcida animada. Porém, o que se viu em seguida foi um futebol fraco e sem inspiração - três derrotas e três empates - e o Reds frequentando a zona de rebaixamento. Marcio Richardes, que deveria ser o principal responsável pelas jogadas de ataque, sumia nos jogos. Yosuke Kashiwagi, meia convertido a segundo volante que já vinha sendo chamado de "sucessor de Endo" na seleção também fazia jogos ruins, tanto que nem foi convocado para os amistosos da Copa Kirin em junho. É claro que, com apenas oito rodadas disputadas, é muito cedo para se falar em rebaixamento, mas com o futebol que vem jogando, até mesmo o 10º lugar do ano passado parece difícil de ser melhorado em 2011.

Os dois times no 4-4-2

O Urawa vinha jogando sempre no 4-3-3, mas desta vez o técnico montenegrino Zeljko Petrovic mudou o esquema para um 4-4-2 tradicional. Marcio Richardes, que vinha sendo o armador central, foi deslocado para o lado direito. Edmilson e Takasaki formaram a dupla de ataque. O atacante Mazola, que está emprestado do São Paulo, vinha sempre entrando no segundo tempo e jogando bem; ele poderia até ter tido hoje sua primeira chance como titular se não tivesse sido expulso na rodada anterior.

O Albirex Niigata é outro time que tem uma fanática torcida - a média de público em 2010 foi de 30.542 por jogo, perdendo apenas para o Urawa. O clube tem também um grande estádio, mas por algum motivo - seja por falta de ambição ou simplesmente incompetência da diretoria - não consegue deixar de ser um time mediano. A temporada até começou bem para o Albi mas, desde que o meia sul-coreano Cho Young-Cheol se machucou, o time perdeu a invencibilidade na temporada e desde então não venceu mais.

Marcio Richardes enfrentou seu ex-clube, que defendeu nos últimos quatro anos, e fez mais uma partida apagada. Pelo menos ele não passou em branco - em cobrança de falta, ele jogou a bola na área e deu a assistência para o primeiro gol, marcado de cabeça por outro brasileiro, Edmilson. Foi apenas a primeira vez que o atacante ex-Palmeiras marcou na temporada.

Depois de sofrer o gol, o Albirex passou a jogar melhor e quase empatou com Bruno Lopes, de cabeça; Yamagishi fez grande defesa e salvou os Reds, que tiveram duas grandes chance no fim do primeiro tempo. Primeiro com Kashiwagi, que aproveitou o erro de Higashiguchi ao tirar a bola com um soco; Kashiwagi ficou com o rebote e chutou com o gol sem goleiro, mas Sakai salvou com o joelho em cima da linha. Depois foi Takasaki que quase marcou - ele recebeu livre na área pela esquerda, mas chutou muito mal e a bola foi pra fora.

No segundo tempo, foi Bruno Lopes quem perdeu na cara o gol - depois de escapar do carrinho de Spiranovic, o brasileiro ficou livre, invadiu a área, encheu o pé mas acertou o travessão. Porém, o empate não demorou. Em uma cobrança de falta praticamente do mesmo lugar em que saiu o primeiro gol, Fujita cruzou na área, a bola passou por todo mundo e Yamagishi bateu roupa; o rebote sobrou para Ishikawa na linha de fundo, que cruzou rasteiro para Daisuke Suzuki, zagueiro da seleção olímpica, que estava livre na pequena área: 1x1.

O empate foi só mais um resultado frustrante para o Urawa, apesar de ter saído da zona de rebaixamento. A mudança de Petrovic para o 4-4-2 não fez o time jogar melhor, não seria surpresa se o time vistitante tivesse levado os três pontos para Niigata. Genki Haraguchi, que vem sendo o maior (e talvez único) destaque do Reds este ano, foi apenas discreto. O atacante, que já fez três gols e é o artilheiro do time, foi marcado de perto pelo lateral Gotoku Sakai - seu companheiro de seleção olímpica -, que normalmente joga pela esquerda, mas fez uma ótima partida jogando pela direita. Marcio Richardes pode ser o camisa 10, a estrela do time, mas até quando ele se mantém como titular sem jogar o que se espera dele? Para a posição, o Urawa tem o promissor Naoki Yamada, de 20 anos, que está voltando de contusão e pode fazer em breve sua estreia na J-League este ano. Mazola, pelo que jogou nas últimas partidas, já fez por merecer uma vaga entre os titulares. Talentos individuais existem de sobra, só falta ver se Petrovic vai conseguir juntar tudo isso e formar um time coeso.


Confira os resultados da 13ª rodada que, devido às fortes chuvas caindo em todo o Japão, tiveram um público bem menor que o usual:

Vegalta Sendai 1x1 Yokohama Marinos
28/05/2011 - Yurtec Stadium, Sendai - Público: 15.181
20' Akamine [1x0]
69' Taniguchi [1x1]

Urawa Reds 1x1 Albirex Niigata
28/05/2011 - Saitama Stadium 2002, Saitama - Público: 25.272
22' Edmilson [1x0]
70' D. Suzuki [1x1]

Kashiwa Reysol 3x0 Vissel Kobe
28/05/2011 - Hitachi Kashiwa Soccer Stadium, Kashiwa - Público: 6.855
21' J. Tanaka [1x0]
24' J. Tanaka [2x0]
76' Leandro Domingues [3x0]

Shimizu S-Pulse 0x0 Júbilo Iwata
28/05/2011 - Outsourcing Stadium, Shizuoka - Público: 12.678

Ventforet Kofu 1x1 Montedio Yamagata
28/05/2011 - Kose Sports Stadium, Kofu - Público: 7.582
21' Havenaar [1x0]
26' S. Ito [1x1]

Cerezo Osaka 0x1 Omiya Ardija
29/05/2011 - Kincho Stadium, Osaka - Público: 5.351
14' Rafael

Kawasaki Frontale 2x1 Gamba Osaka
29/05/2011 - Todoroki Stadium, Kawasaki - Público: 14.056
54' Adriano [0x1]
61' K. Nakamura [1x1]
90'+4 K. Nakamura [2x1]

Nagoya Grampus 5x2 Avispa Fukuoka
29/05/2011 - Toyota Stadium, Nagoya - Público: 11.132
23' Kennedy [1x0]
26' Okamoto [1x1]
51' Tamada [2x1]
66' Shigematsu [2x2]
81' Fujimoto [3x2]
87' Burzanovic [4x2]
90'+2 Tamada [5x2]

Sanfrecce Hiroshima 2x1 Kashima Antlers
29/05/2011 - Hiroshima Big Arc, Hiroshima - Público: 8.049
9' Morisaki [1x0]
18' Koroki [1x1]
90' Morisaki [2x1]

Pos. Time Pontos  J   V   E   D   GP   GC   SG 
Kashiwa Reysol 19  8   6   1   1   16   4   12
Vegalta Sendai 16  8   4  4  0   10   6   4
Yokohama F. Marinos 15  8   4  3  1   17   8   9
Sanfrecce Hiroshima 15  8   4  3  1   12   7   5
Júbilo Iwata 13  8   3  4  1   14   7   7
Vissel Kobe 13  8   4  1  3   9   7   2
Kawasaki Frontale 13  8   4  1  3   12   11   1
Gamba Osaka 12  6   4  0  2   12   12   0
Omiya Ardija 12  8   3  3  2   8   9   -1
10º Albirex Niigata 10  8   2  4  2   8   8   0
11º Nagoya Grampus 9  7   2  3  2   10   10   0
12º Shimizu S-Pulse 9  8   2  3  3   8   12   -4
13º Ventforet Kofu 7  8   1  4  3   8   12   -4
14º Urawa Red Diamonds 6  8   1  3  4   8   11   -3
15º Cerezo Osaka 5  7   0  5  2   7   9   -2
16º Kashima Antlers 5  6   1  2  3   10   14   -4
17º Montedio Yamagata 5  8   1  2  5   5   13   -8
18º Avispa Fukuoka 0  8   0  0  8   8   22   -14

quarta-feira, 25 de maio de 2011

Kashima e Nagoya perdem na Coreia e estão fora da ACL - Seoul e Suwon avançam para as quartas

FC Seoul 3x0 Kashima Antlers

Apesar de ser o maior campeão do futebol japonês desde a criação da J-League, o Kashima Antlers vive o dilema de nunca ter vencido um título internacional. Na Liga dos Campeões da Ásia, o máximo que já chegaram foi até as quartas de final, além de terem sido eliminados nas oitavas nos dois últimos anos. Assim como o Gamba Osaka, o Kashima agora só tem a lamentar a terceira eliminação seguida no primeiro jogo da fase final.

Jogar fora de casa é uma tarefa árdua na ACL. Jogar fora de casa contra o atual campeão coreano em um jogo único eliminatório e sair com a vitória não é pra qualquer um. Essa peculiaridade da ACL - jogo único nas oitavas e jogo de ida e volta nas quartas - faz com que conseguir o primeiro lugar na fase de grupos seja essencial. O Kashima teve a chance de terminar no topo do Grupo H mas, depois de dois empates contra o Suwon Bluewings, mesmo jogando melhor, teve que se contentar com o segundo lugar, apenas por causa do saldo de gols.

Jogando no Seoul World Cup Stadium, na capital sul-coreana, o time da casa se impôs do início ao fim e não deu chance ao Kashima. O atacante Bang Seung-Hwan abriu o placar aos 38 do primeiro tempo. O montenegrino Damjanovic fez 2x0 no início da segunda etapa depois de um cruzamento do uzbeque Server Djeparov. Nos acréscimos, o Antlers todo no ataque, Ko Myung-Jin aproveitou de um recuo mal feito ainda no meio-campo, roubou a bola, deu um chapéu no goleiro e definiu incontestáveis 3x0.

Suwon Bluewings 2x0 Nagoya Grampus

O Nagoya Grampus começou a temporada como favorito ao bicampeonato japonês e com a expectativa de ir longe em sua segunda participação no torneio continental. Em 2009, haviam chegado à semifinal. Porém, depois de 14 partidas nesta temporada, o Nagoya tem 4 vitórias, 5 empates e 5 derrotas, além de estar a cinco jogos sem vencer. Um desempenho muito abaixo do esperado pra quem deveria disputar o título da J-League e se impor na ACL. O time tem sido inconsistente demais, tem muita dificuldade em criar chances de gol, comete erros bobos na defesa e sua principal contratação para 2011 - Jungo Fujimoto - ainda não mostrou a que veio. É bem verdade que o time tem sofrido com muitas lesões em jogadores chave, mas ainda assim o futebol jogado poderia ser melhor.

Para o jogo decisivo das oitavas de final contra o Suwon Bluewings, o técnico Dragan Stojkovic teve à disposição jogadores importantes como Tulio, Danilson e Kennedy. Os três, que foram escolhidos para a seleção do campeonato na J-League ano passado, desfalcaram o Nagoya em vários jogos esta temporada. Danilson, por exemplo, fez hoje apenas sua segunda partida no ano. Pra piorar a situação, ele sentiu a coxa ainda no primeiro tempo e teve que ser substituído. Kennedy, sempre marcado, mal conseguiu aparecer no meio da linha de cinco defensores usada pelo Suwon.

Pelo time que entrou em campo, o torcedor japonês estava otimista, mas tudo se complicou logo aos 16 minutos, quando o atacante Yeom Ki-Hun apareceu na pequena área pra escorar de cabeça um cruzamento da esquerda e fazer 1x0. Narazaki até conseguiu colocar a ponta dos dedos na bola, mas não foi o suficiente pra evitar o gol. Com a contusão de Danilson, entrou o atacante Nagai; esperava-se um time mais ofensivo, mas pouca coisa mudou. A apatia do Nagoya era evidente.

No início do segundo tempo, um recuo mal feito do lateral Hayuma Tanaka deixou a bola na fogueira para o goleiro Narazaki que teve que ir na dividida com o atacante adversário; a bola sobrou para outro atacante, Lee Sang-Ho, que só tocou para o gol vazio e fez 2x0. Mesmo com a desvantagem e o natural recuo do time coreano, o Nagoya continuou burocrático demais e quase não criou chances. Se fosse pra sair mais gols na partida, provavelmente seria do Suwon.

Foi uma performance decepcionante dos times japoneses, enquanto os sul-coreanos jogaram bem e confirmaram a vantagem de ser o time mandante. A importância de ser primeiro na fase de grupos e decidir em casa o jogo único das oitavas fica evidente no fato de que o único time visitante a conseguir a classificação foi o Cerezo Osaka. Isso porque ainda estavam jogando na sua própria cidade e com um grande apoio da sua torcida.

Mais um ano, mais uma decepção na ACL / Foto: Site oficial do Kashima Antlers

Confira os resultados das oitavas de final:

Jeonbuk Motors (Coreia do Sul) 3x0 Tianjin Teda (China)
Gamba Osaka 0x1 Cerezo Osaka
Sepahan (Irã) 3x1 Bunyodkor (Uzbequistão)
Al Ittihad (Arábia Saudita) 3x1 Al Hilal (Arábia Saudita)
FC Seoul (Coreia do Sul) 3x0 Kashima Antlers
Suwon Bluewings (Coreia do Sul) 2x0 Nagoya Grampus
Al Sadd (Qatar) 1x0 Al Shabab (Arábia Saudita)
Zob Ahan (Irã) 4x1 Al Nasr (Arábia Saudita)

terça-feira, 24 de maio de 2011

Cerezo vence o derby de Osaka e está nas quartas da ACL

 Ryuji Bando, Martinez e Rodrigo Pimpão comemoram a vitória histórica / J.League Photos

O clássico de Osaka entre Gamba e Cerezo pelas oitavas de final da Liga dos Campeões da Ásia vinha sendo aguardado com expectativa pelas torcidas dos dois times, e não ficou devendo em emoção. O Gamba, que se classificou em primeiro lugar no Grupo E, tinha a vantagem de jogar em casa. Além da torcida, que compareceu em peso ao Expo '70 Stadium, também chamado de Banpaku em japonês, o retrospecto contava a favor: jogando no seu estádio, foram apenas 3 derrotas em 16 partidas contra o Cerezo. O time comandado pelo técnico Akira Nishino, que já foi campeão continental em 2008, buscava a classificação depois de ter sido eliminado nas oitavas nos dois últimos anos. O Cerezo, que foi o segundo colocado do Grupo F, vinha como azarão na primeira vez que participa da ACL em sua história.

Gamba e Cerezo no 4-2-3-1 no início da partida

Os dois times vieram com a mesma formação, um 4-2-3-1. Com desfalques na defesa, o Gamba teve que mais uma vez improvisar o volante Takei na lateral esquerda. Tatsuya Uchida, de 19 anos, foi outro que ganhou uma chance como titular. Yamaguchi e Shimohira, lesionados, não jogaram. Pelo Cerezo, o zagueiro Fujimoto entrou no lugar do suspenso Moniwa.

Como não podia deixar de ser em um clássico decisivo, O jogo começou nervoso, tanto que Inui recebeu um cartão amarelo logo no primeiro minuto ao acertar um carrinho sem a bola em Kaji, aparentemente sem querer. O Cerezo começou melhor e controlando a posse de bola, mas foi o
Gamba que assustou mais principalmente em contra-ataques. Ao final do primeiro tempo, já era o time da casa que ficava mais com a bola, mas ninguém teve uma chance clara de gol.

A melhor oportunidade do Cerezo foi num cruzamento de Martinez pela direita que Pimpão não alcançou por centímetros - tivesse acertado a cabeçada, dificilmente o brasileiro não faria o gol. O Gamba foi mais perigoso com Usami, que carrregou a bola em um contra-ataque, invadiu a área e chutou cruzado, na rede pelo lado de fora - talvez o passe fosse a melhor opção, pois Lee Keun-Ho estava desmarcado no meio da área.

No intervalo para o segundo tempo, Levir Culpi fez duas alterações: Saíram os meias Inui e Kurata, entraram o volante Chugo e o atacante Komatsu. Com isso, a formação mudou para um 4-4-2 tradicional - Kim Bo-Kyung foi adiantado para a meia direita, Kiyotake foi para a esquerda e Pimpão passou a ter Komatsu ao seu lado no ataque.

O time da flor de cerejeira quase abriu o placar numa saída bisonha do goleiro Fujigaya, que deixou a área mas não alcançou a bola, que ficou com o jogador do Cerezo. Pimpão recebeu o cruzamento com o gol sem goleiro, teve seu chute bloqueado por um zagueiro. Komatsu teve mais uma boa chance minutos depois num chute forte de perna esquerda, mas Fujigaya defendeu bem e mandou pra escanteio. Quando o meia Sasaki entrou no lugar de Lee Keun-Ho, o Gamba também mudou sua formação, com Usami indo pra frente e formando uma dupla de ataque com Adriano.

As duas equipes mudaram para o 4-4-2 no segundo tempo

Durante toda a temporada, o Gamba já mostrou que, apesar de ter um ataque que marca gols, a parte defensiva ficou devendo muitas vezes. Depois de um lançamento do campo de defesa do Cerezo, Fujigaya mais uma vez saiu muito mal da área e quase entregou o ouro: ele derrubou Pimpão antes de ser driblado, mas como haviam defensores por perto para fazer a cobertura, o goleiro se safou com um cartão amarelo.

Num cruzamento de Sasaki para a área, Adriano, livre, cabeceou pra fora. A tensão ia aumentando a cada minuto, a cada cruzamento na área, a cada lance de perigo. Como a decisão de quem passa para a próxima fase é em jogo único, tudo pode ser definido em um lance, em um pequeno detalhe, a qualquer momento. O jogo estava totalmente equilibrado.

Depois de uma bela troca de passes, Kim Bo-Kyung ganhou do zagueiro na dividida e ficou cara a cara com o goleiro, mas Fujigaya fez a defesa. Em seguida, foi Adriano quem recebeu na cara do gol, mas Kim Jin-Hyeon fez milagre salvou seu time. Era ataque de um lado e ataque do outro, os dois times iam pra frente pra decidir dentro dos 90 minutos, ninguém queria jogar uma prorrogação.

Aos 43 minutos, o Cerezo estava no ataque. O lateral Daisuke Takahashi partia em velocidade pela direita e recebeu a bola, no canto da área e, num lance parecido com o gol de Maicon contra a Coreia do Norte na Copa 2010, ele chutou mesmo com pouco ângulo. Fujigaya, que estava esperando um cruzamento, foi surpreendido e não conseguiu defender o chute rasteiro na primeira trave. Não dá pra saber se Takahashi realmente tentou fazer o gol ou cruzar, mas o que importa é que a bola entrou e a festa do Cerezo foi digna de um gol de título.

No desespero, o atacante Hirai ainda entrou pelo Gamba, que pressionou da forma que podia. O empate não saiu por pouco - o Cerezo se salvou com uma bola na trave. Depois do apito final, foi uma festa incrível da torcida visitante, enquanto os jogadores do Gamba, incrédulos, ficaram caídos no chão, abatidos com a terceira eliminação consecutiva nas oitavas de final da ACL. Enquanto o lado azul de Osaka se lamenta, o lado rosa só tem a comemorar: chegar às quartas de final na primeira participação no torneio continental já é um feito histórico.

domingo, 22 de maio de 2011

Yokohama Marinos 4x0 Ventforet Kofu: Mudança de formação e goleada tricolor

Taniguchi: como meia ofensivo, ele foi decisivo / J.League Photos

Pela 12ª rodada da J-League, O Yokohama Marinos goleou em casa o Ventforet Kofu e subiu para o terceiro lugar, aproximando-se do líder Kashiwa Reysol. O time não se abalou com a primeira derrota na temporada sofrida na rodada passada (3x2 para o Sanfrecce Hiroshima) e goleou sem dificuldades, marcando os quatro gols ainda no primeiro tempo, com Taniguchi, Watanabe e Oguro (duas vezes).

A formação inicial das equipes

O Yokohama surpreendeu ao entrar em campo com uma formação diferente. Ao invés do 4-4-2 desdobrado em 4-2-2-2 (dois volantes, dois meias abertos e dois atacantes) como vinha usando nos jogos anteriores,o ténico Kazushi Kimura desta vez escalou um 4-4-2 com o meio-campo em diamante. Ogura foi o único volante; Nakamura e Hyodo continuaram cada um do seu lado do campo, mas atuando mais centralizados; a grande surpresa foi Taniguchi, que vinha jogando como volante e agora apareceu como trequartista, fazendo a ligação do meio com o ataque.

O Ventforet, atual vice-campeão da segunda divisão, veio animado depois da primeira vitória na temporada (3x1 contra o Nagoya Grampus). O aniversariante do dia e estrela do time, Mike Havenaar, era a esperança de gols, mas o artilheiro da J2 do ano passado ganhou um indigesto presente de 24 anos: além de passar em branco, viu seu time ser dominado e goleado.

O Marinos tomou a iniciativa desde o início e não precisou de muito esforço para fazer seus gols. Com 10 minutos, Nakamura cobrou escanteio na primeira trave e Taniguchi se adiantou para fazer de cabeça: 1x0. Seis minutos depois, Taniguchi passou para Watanabe na entrada da área pelo lado direito; o atacante, que havia perdido um gol cara a cara com o goleiro no início do jogo, se redimiu ao dar um corte no zagueiro e chutar cruzado de perna esquerda, no canto: 2x0.

A nova formação vinha dando resultado e o time da casa tocava a bola como queria. Aos 24 minutos já estava 3x0: depois de uma longa sequência de troca de passes, Hato recebeu pelo lado esquerdo, foi até a linha de fundo e cruzou rasteiro para Watanabe, que esticou a perna e passou de primeira para Oguro, que estava desmarcado na pequena área. O veterano atacante girou o corpo e chutou também de primeira para marcar. No final do primeiro tempo, Watanabe mais uma vez serviu seu companheiro de ataque, com um cruzamento pela direita que Oguro cabeceou para fazer 4x0.

O Ventforet voltou para o segundo tempo com uma postura mais ofensiva, na tentativa de pelo menos diminuir a diferença no placar. Havenaar, do alto de seus 1,94 m, até chegou a assustar em algumas oportunidades, mas o Yokohama esteve mais perto de marcar o quinto do que o Kofu de fazer seu gol de honra: já no final do segundo tempo, Kim Kun-Hoan avançou em um contra-ataque, cortou o zagueiro para a direita, depois para a esquerda e chutou; Ogi espalmou e Hasegawa pegou o rebote livre na pequena área, mas o goleiro fez milagre e impediu o quinto gol.

Uma vitória tranquila para o Marinos e uma interessante opção tática apresentada pelo técnico Kimura. Taniguchi, que já vinha fazendo uma boa temporada jogando como volante, foi eleito o melhor em campo jogando como meia de ligação, e não seria surpresa se ele aparecesse nas futuras convocações de Zaccheroni para a seleção: o técnico italiano já teria incluído o meia de 25 anos em sua lista de possíveis novos jogadores para os Samurais Azuis.


Confira todos os resultados da 12ª rodada:

Cerezo Osaka 3x3 Kawasaki Frontale
20/05/2011 - Kincho Stadium, Osaka - Público: 7.712
17' Yamase [0x1]
29' Yajima [0x2]
52' Kiyotake [1x2]
54' R. Pimpão [2x2]
72' Kobayashi [2x3]
81' gol contra [3x3]

Júbilo Iwata 4x1 Avispa Fukuoka
21/05/2011 - Yamaha Stadium, Iwata - Público: 12.372
5' Yamazaki [1x0]
32' Maeda [2x0]
35' Yamamoto [3x0]
49' Maeda [4x0]
86' Okamoto [4x1]

Yokohama Marinos 4x0 Ventforet Kofu
21/05/2011 - Nissan Stadium, Yokohama - Público: 17.751
10' Taniguchi [1x0]
16' Watanabe [2x0]
24' Oguro [3x0]
39' Oguro [4x0]

Urawa Reds 2x2 Kashima Antlers
21/05/2011 - Saitama Stadium 2002, Saitama - Público: 37.521
13' Nishi [0x1]
62' Masuda [0x2]
67' Takasaki [1x2]
69' Mazola [2x2]

Nagoya Grampus 0x0 Kashiwa Reysol
21/05/2011 - Toyota Stadium, Nagoya - Público: 21.506

Gamba Osaka 2x1 Albirex Niigata
21/05/2011 - Expo '70 Stadium, Osaka - Público: 15.978
8' Adriano [1x0]
77' Michael [1x1]
88' Adriano [2x1]

Vissel Kobe 1x0 Sanfrecce Hiroshima
21/05/2011 - Home's Stadium Kobe, Kobe - Público: 15.520
36' H. Tanaka

Montedio Yamagata 0x1 Vegalta Sendai
22/05/2011 - ND Soft Stadium, Yamagata - Público: 18.008
53' Sugai

Omiya Ardija 1x4 Shimizu S-Pulse
22/05/2011 - NACK 5 Stadium, Saitama - Público: 6.668
39' Alex Brosque [0x1]
50' Takahara [0x2]
59' Takahara [0x3]
69' Tsujio [0x4]
90'+3 Rafael [1x4]

Pos. Time Pontos  J   V   E   D   GP   GC   SG 
Kashiwa Reysol 16  7   5   1   1   13   4   9
Vegalta Sendai 15  7   4  3  0   9   5   4
Yokohama F. Marinos 14  7   4  2  1   16   7   9
Vissel Kobe 13  7   4  1  2   9   4   5
Júbilo Iwata 12  7   3  3  1   14   7   7
Sanfrecce Hiroshima 12  7   3  3  1   10   6   4
Gamba Osaka 12  5   4  0  1   11   10   1
Kawasaki Frontale 10  7   3  1  3   10   10   0
Albirex Niigata 9  7   2  3  2   7   7   0
10º Omiya Ardija 9  7   2  3  2   7   9   -2
11º Shimizu S-Pulse 8  7   2  2  3   8   12   -4
12º Nagoya Grampus 6  6   1  3  2   5   8   -3
13º Ventforet Kofu 6  7   1  3  3   7   11   -4
14º Cerezo Osaka 5  6   0  5  1   7   8   -1
15º Kashima Antlers 5  5   1  2  2   9   12   -3
16º Urawa Red Diamonds 5  7   1  2  4   7   10   -3
17º Montedio Yamagata 4  7   1  1  5   4   12   -8
18º Avispa Fukuoka 0  7   0  0  7   6   17   -11

terça-feira, 17 de maio de 2011

Qual a função de um time de futebol?

A cidade de Onagawa, localizada na costa leste da província de Miyagi, foi uma das mais atingidas pelo tsunami de 11 de março no Japão. A maior parte da cidade foi destruída por ondas de até 24 metros de altura e pelo menos 1.300 dos 10.000 habitantes perderam suas vidas na tragédia. Antes disso, Onagawa já vivia uma espécie de declínio, pois as principais oportunidades de emprego estavam na mão de obra pesada da pesca e da usina nuclear local. Buscando melhores perspectivas, grande parte dos jovens partia para cidades grandes como Sendai, 50 km a oeste ou Tóquio, 350 km ao sul.

Explicando o origem do nome: Cobaltore é a mistura de duas palavras: Cobalt e Forest, representando o azul-cobalto do mar e o verde das florestas de Onagawa.

Em 2006, quando a comunidade local decidiu fundar um time de futebol, batizado de Cobaltore Onagawa, o principal objetivo era incentivar os jovens a não irem embora, fazer com que aumentasse o vínculo entre eles e a cidade, para que a pequena Onagawa pudesse finalmente prosperar. E ia dando certo - a população se empolgou com a ideia e muitos torcedores iam aos jogos. O time foi campeão da liga municipal logo no primeiro ano e, em seguida, venceu também a liga da província de Miyagi, chegando rapidamente à Liga de Tohoku, que envolve todo o nordeste do Japão. Em 2011, eles jogariam a Divisão 2 Sul da Liga de Tohoku (o equivalente à 5ª divisão) mas, com a cidade arrasada, o Cobaltore só terá condições de voltar a jogar ano que vem, o que atrasa sua ousada ambição de se tornar um time profissional e chegar à J-League.

Em meio a todas essas dificuldades, o pequeno Cobaltore agora luta para reconstruir sua pequena cidade e mostrar ao mundo qual é - ou deveria ser - a função de um time de futebol. As instalações e equipamentos do clube foram destruídos, e o que sobrou do centro de treinamento é usado como abrigo. Todos os jogadores do time principal sobreviveram, e a maioria decidiu continuar na cidade para ajudar como voluntários, seja produzindo comida, distribuindo água pela cidade ou trabalhando junto com o exército na limpeza dos destroços. Enfim, o que for possível fazer para ajudar.


A equipe principal do Cobaltore Onagawa

As categorias de base têm um destaque especial no clube, com uma escolinha infantil e os times sub-12, sub-15 e sub-18. O time principal só deve voltar a entrar em campo em abril de 2012, mas enquanto isso os jogadores continuam ministrando os treinamentos dos mais jovens que, muito mais do que uma simples forma de entretenimento, é também um grande passo na reconstrução da comunidade. O Cobaltore tornou-se o símbolo da luta e do esforço de toda a cidade.

Porém, sem a possibilidade de realizar jogos e com as mercadorias do clube destruídas, não existe uma fonte de renda até o ano que vem, deixando no ar o risco do time eventualmente ter que fechar as portas.

As crianças do time sub-12

Mike Innes, torcedor do Omiya Ardija, e Susan Andrews são ingleses que viveram no Japão e têm laços estreitos com a cidade de Onagawa e com o time de futebol. Depois da tragédia de 11 de março, eles fundaram o Onagawa Supporters (Torcedores de Onagawa), que visa levantar fundos para ajudar o Cobaltore a se manter de pé e garantir um futuro próspero para sua cidade. Graças a eles, que também usam o Facebook e o Twitter para divulgar suas ações, a campanha vem aparecendo na mídia, deixando viva a esperança de que tanto o time quanto a cidade possam se reerguer.

domingo, 15 de maio de 2011

Albirex Niigata 0x3 Kashiwa Reysol: O sol brilha mais forte para o Kashiwa

Jorge Wagner fez o primeiro gol e deu a assistência para o segundo / J.League Photos

Pela 11ª rodada da J1, o Kashiwa Reysol venceu bem o Albirex Niigata fora de casa e continua na liderança. Jorge Wagner, Kondo e Kudo marcaram na vitória por 3x0. O Albirex, com uma péssima atuação, decepcionou sua torcida e sofreu a primeira derrota no ano, caindo para 7º na tabela.

No início do ano, já era esperado que o Kashiwa fizesse uma boa temporada depois de vencer com sobras a segunda divisão. Só que ninguém arriscava dizer que o time do técnico Nelsinho Baptista começaria tão bem o campeonato, com vitórias contra Shimizu, Omiya e Kofu. É verdade que nenhum desses está brigando na parte de cima na tabela, e a derrota para o modesto Montedio Yamagata na 4ª rodada fez muitos pensarem que o Reysol começaria a cair ali. Porém, vitórias convincentes contra Urawa Reds e agora Albirex deixam o time isolado no topo da tabela. Leandro Domingues vem jogando bem, assim como Jorge Wagner, a principal contratação para a temporada e que já é um dos destaques do time. Com apenas seis jogos disputados, é cedo pra dizer até onde eles podem chegar, mas pelo menos por enquanto o Kashiwa vai vivendo momentos de glória.

A formação inicial das equipes

O Albirex Niigata vinha fazendo uma boa campanha, ainda estava invicto, tem uma das melhores médias de público da J-League... Esperava-se um bom jogo do "Albi" em casa, mas a ausência dos seus principais jogadores ofensivos, o meia Cho Young-Cheol e o atacante Bruno Lopes, foi muito sentida. Apesar de jogar em casa, o time não conseguia fazer nada além de trocar passes entre os quatro jogadores da defesa. Em certo momento no início do jogo, isso ficou tão claro que devem ter trocado mais de 20 passes sem conseguir entrar no campo de ataque.

O Kashiwa dava espaço para o Albirex tocar a bola na defesa, mas a partir dos volantes todos estavam marcados, não tinha opção de passe. Só restou tentar passes longos e também explorar o lado direito do ataque, onde geralmente tinha algum espaço graças às contantes subidas de Jorge Wagner. Em duas oportunidades o Albirex conseguiu acertar o passe e deixar um jogador livre nas costas do lateral brasileiro, mas em nenhum momento o goleiro Sugeno esteve ameaçado.

O Kashiwa tocava mais a bola e atacava mais; o gol saiu logo na primeira oportunidade. Jorge Wagner pegou um rebote na lateral da grande área, de costas para o gol. A bola veio alta, ele esticou o pé e tocou por cima do seu marcador, rapidamente girando pra pegar a bola de novo, que ficou dividida com outro defensor; o brasileiro foi mais rápido e só deu um toque de leve para tirar do adversário, pra então chutar cruzado, com força: 1x0. Terceiro gol dele em apenas cinco jogos na J-League, e que golaço.

No segundo tempo, o Albirex tentou avançar sua linha de defesa para finalmente conseguir tocar a bola no campo adversário, mas ainda assim não chegou perto de marcar e sequer conseguiu um chute a gol. Eles só conseguiram um único chute a gol em toda a partida, com o brasileiro Michael no final do primeiro tempo, que saiu fraco e o goleiro defendeu sem problemas. Sinceramente, acho que foi a primeira vez na vida que vejo o time da casa conseguir apenas um chute a gol em todo o jogo.

Enquanto isso, o Kashiwa aproveitou bem suas chances - Jorge Wagner cobrou falta na área o zagueiro Kondo fez de cabeça: 2x0. A 10 minutos do fim, o golpe de misericórdia: Masato Kudo, que tinha acabado de entrar, recebeu de Hiroki Sakai um lançamento do campo de defesa e, cara a cara com o goleiro, definiu o 3x0.


Resultados da 11ª rodada:

Vegalta Sendai 3x3 Júbilo Iwata
14/05/2011 - Yurtec Stadium, Sendai - Público: 11.544

Montedio Yamagata 0x1 Omiya Ardija
14/05/2011 - ND Soft Stadium, Yamagata - Público: 7.435

Shimizu S-Pulse 1x5 Vissel Kobe
14/05/2011 - Outsourcing Stadium, Shizuoka - Público: 14.350

Albirex Niigata 0x3 Kashiwa Reysol
14/05/2011 - Tohoku Denryoku Big Swan Stadium, Niigata - Público: 25.312

Sanfrecce Hiroshima 3x2 Yokohama Marinos
14/05/2011 - Hiroshima Big Arc, Hiroshima - Público: 17.004

Ventforet Kofu 3x1 Nagoya Grampus
15/05/2011 - Kose Sports Stadium, Kofu - Público: 14.075

Urawa Reds 1x1 Cerezo Osaka
15/05/2011 - Saitama Stadium 2002, Saitama - Público: 31.571

Avispa Fukuoka 2x3 Gamba Osaka
15/05/2011 - Level-5 Stadium, Fukuoka - Público: 18.403

Kawasaki Frontale 3x2 Kashima Antlers
15/05/2011 - Todoroki Stadium, Kawasaki - Público: 19.643


Pos. Time Pontos  J   V   E   D   GP   GC   SG 
Kashiwa Reysol 15  6   5   0   1   13   4   9
Sanfrecce Hiroshima 12  6   3  3  0   10   5   5
Vegalta Sendai 12  6   3  3  0   8   5   3
Yokohama F. Marinos 11  6   3  2  1   12   7   5
Vissel Kobe 10  6   3  1  2   8   4   4
Júbilo Iwata 9  6   2  3  1   10   6   4
Albirex Niigata 9  6   2  3  1   6   5   1
Omiya Ardija 9  6   2  3  1   6   5   1
Gamba Osaka 9  4   3  0  1   9   9   0
10º Kawasaki Frontale 9  6   3  0  3   7   7   0
11º Ventforet Kofu 6  6   1  3  2   7   7   0
12º Nagoya Grampus 5  5   1  2  2   5   8   -3
13º Shimizu S-Pulse 5  6   1  2  3   4   11   -7
14º Cerezo Osaka 4  5   0  4  1   4   5   -1
15º Kashima Antlers 4  4   1  1  2   7   10   -3
16º Urawa Red Diamonds 4  6   1  1  4   5   8   -3
17º Montedio Yamagata 4  6   1  1  4   4   11   -7
18º Avispa Fukuoka 0  6   0  0  6   5   13   -8

quarta-feira, 11 de maio de 2011

ACL: Todos os quatro japoneses classificados para as oitavas de final

Grupo E - Gamba Osaka 2x0 Tianjin Teda
11/05/2011 - Expo '70 Stadium, Osaka, Japão - Público: 7.939

Caiu um temporal nesta noite em Osaka. E no meio disso tudo, teve um jogo de futebol.

Depois de muita tensão e uma partida difícil sob forte chuva, o Gamba Osaka venceu o Tianjin Teda e está classificado para as oitavas de final da Liga dos Campeões da Ásia em primeiro lugar no Grupo E. O Tianjin, que já estava garantido na próxima fase, ficou com o segundo lugar, enquanto Jeju United e Melbourne Victory, que empataram em 1x1 no outro jogo, estão eliminados.

Jogando em casa, o Gamba precisava vencer para não depender do resultado da outra partida. E a equipe do técnico Akira Nishino pressionou desde o começo, mas não conseguia encontrar o caminho do gol, seja por intervenções cruciais da defesa adversária ou simplesmente falta de precisão na hora de finalizar. É claro que a forte chuva que caiu durante todo o jogo não ajudou em nada também. Em um lance, Adriano invadiu a área e, sem ângulo para tentar o gol, deu um passe de calcanhar para trás; Hayato Sasaki apareceu para chutar e a bola passou pelo goleiro, mas um zagueiro tirou quase em cima da linha. Em outro, Adriano recebeu lançamento totalmente livre ainda na intermediária, apenas com o goleiro pela frente, mas o brasileiro chutou em cima do goleiro - méritos para a grande defesa de Yang Qipeng, mas esse é um típico gol que um atacante não pode perder.

A tensão aumentou no segundo tempo, pois o Jeju United vencia o Melbourne Victory em casa por 1x0. Dessa forma, o Gamba precisava da vitória de qualquer maneira, senão estaria eliminado. Takashi Usami, que havia ficado no banco, entrou no lugar do lateral esquerdo Kim Seung-Yong e o Gamba mudou sua formação habitual com quatro defensores para um exótico 3-4-3, com Adriano, Lee Keun-Ho e Usami no ataque.

Usami quase marcou logo em seguida; ele chutou de fora da área e a bola desviou em um zagueiro, mas o goleiro conseguiu salvar com a perna e mandar pra escanteio. Aos 28 minutos, falta perigosa para o Gamba depois que um chinês colocou a mão na bola. Yasuhito Endo, o craque do time e da seleção japonesa, especialista em fazer gols de falta, foi pra cobrança. E não deu outra. Com um chute preciso, Endo colocou a bola no canto esquerdo do goleiro, que se esforçou mas não conseguiu impedir o gol: 1x0 e muita festa no Banpaku.

Com o resultado que precisava, o volante Takei entrou no lugar de Sasaki e foi improvisado na lateral esquerda, fazendo o time voltar a jogar com quatro defensores. Os chineses foram pra cima em busca do empate, que daria a eles a liderança no grupo. Parecia difícil confiar na defesa do Gamba para segurar o resultado - o time tinha tomado gol em todos os jogos da temporada até hoje. Porém, em um contra-ataque já nos acréscimos, o atacante Shoki Hirai, que tinha acabado de entrar no lugar de Adriano, recebeu a bola livre ainda na intermediária, em lance idêntico ao que Adriano havia perdido antes. Mas desta vez a jogada terminou de forma diferente. Hirai tentou driblar o goleiro e foi derrubado na área. O árbitro marcou pênalti e expulsou o arqueiro chinês. Como já haviam feito as três substituições, o meia Wu Weian foi para o gol. Usami cobrou bem, finalmente marcou seu primeiro gol na temporada e definiu os 2x0 e a classificação.


Grupo F - Al Ain 3x1 Nagoya Grampus
11/05/2011 - Tahnoun Bin Mohamed Stadium, Al Ain, Emirados Árabes Unidos - Público: 892

Os classificados do Grupo F já estavam definidos antes da rodada começar. Nagoya Grampus e FC Seoul já haviam garantido a vaga na rodada anterior e, com campanhas iguais, só jogariam para decidir quem seria o primeiro e o segundo. Hangzhou Greentown e FC Seoul se enfrentaram mais cedo e ficaram no 1x1, o que fez com que o Nagoya precisasse apenas de uma vitória simples ou um empate por 1x1 ou com mais gols para terminar como líder do grupo.

Com muitos jogadores lesionados (Tulio, Yoshimura, Danilson, Burzanovic, Kanazaki e Kennedy) e outros poupados (Narazaki, Hayuma Tanaka, Alex Santos, Naoshi Nakamura e Tamada), os japoneses entraram em campo com um time misto e, como não é de se estranhar em situações assim, fizeram uma partida pouco inspirada. Por outro lado, o Al Ain - que tem como brasileiros o técnico Gallo e o meia Elias -, apesar de já estar eliminado, jogou para encerrar sua participação com uma vitória. E eles conseguiram fazer 2x0 no primeiro tempo, primeiro com Hamad Al Marri, com um chute de primeira, de fora da área, e depois com Elias, que recebeu na pequena área a assistência do romeno Badea e não teve dificuldades em concluir.

No segundo tempo, entrou o atacante Hikaru Kuba no Nagoya, e logo aos 2 minutos ele já mostrou serviço, ao se aproveitar de uma falha da defesa que o deixou livre; Kuba foi até a linha de fundo e cruzou para Fujimoto empurrar a bola pro gol vazio e diminuir o placar: 2x1. Porém, os japoneses nem tiveram tempo pra comemorar, pois um minuto depois o árbitro marcou pênalti para o Al Ain. Elias bateu forte e alto, no meio gol: 3x1. A partida seguiu sem fortes emoções até o final e o placar se manteve o mesmo. O Al Ain terminou em terceiro lugar e o Nagoya, em segundo.


Grupo G - Cerezo Osaka 4x0 Shandong Luneng
10/05/2011 - Nagai Stadium, Osaka, Japão - Público: 9.035

O Cerezo Osaka garantiu a classificação para as oitavas de final ao vencer em casa o Shandond Luneng, de Renato Silva e Obina, em uma grande exibição e ficou em segundo lugar no Grupo G. O Jeonbuk Motors goleou o Arema por 6x0 na outra partida e ficou em primeiro, com a melhor campanha da primeira fase.

Levir Culpi mudou seu 4-2-3-1 habitual e escalou um 4-4-2, com Rodrigo Pimpão e Rui Komatsu no ataque. O Cerezo podia até empatar que ainda ficaria com a vaga, enquanto os chineses precisavam da vitória a qualquer custo. Renato Silva foi titular e Obina começou no banco.

O time da casa teve dificuldades em criar chances no início, enquanto os chineses abusavam das faltas - com 30 minutos de jogo, já tinham recebido quatro cartões amarelos. No final do primeiro tempo, a pressão do Cerezo foi só aumentando até sair o gol. Aos 38 minutos, Rodrigo Pimpão chutou de fora da área e o goleiro espalmou; Maruhashi pegou o rebote da entrada da área e mais uma vez o goleiro rebateu, só que a bola foi parar na cabeça de Pimpão, que mandou pro fundo das redes e fez 1x0. O Shandong foi atrás do empate, mas quase tomou o segundo em duas oportunidades.

O torcedor japonês lamentou as chances perdidas de ampliar o placar no final do primeiro tempo, mas voltou a comemorar logo depois do pontapé inicial do segundo: Pimpão recebeu de Inui e cruzou na área para Komatsu, que ajeitou de cabeça; Kiyotake dominou no peito, ajeitou com o pé esquerdo antes da bola cair no chão e chutou forte de direita, no ângulo. Um golaço e 2x0 no placar.

Vendo a classificação cada vez mais longe - o Shandong precisava vencer -, o técnico croata Rajko Magic tirou o zagueiro cabo-verdiano Ricardo e colocou Obina. Porém, a bola pouco chegou no brasileiro e o time chinês não esteve perto de marcar. O Cerezo, pelo contrário, continuou atacando e Rodrigo Pimpão coroou sua excelente atuação com um belo passe que deixou Komatsu livre; o atacante avançou e tocou de lado quando o goleiro saiu, deixando Inui com a simples tarefa de concluir para o gol vazio: 3x0.

A partir daí, os chineses desanimaram e mostraram por que são vistos com maus olhos pelo seu futebol que costuma ser violento demais. O meia Cui Peng deu uma entrada criminosa no jogador do Cerezo, um carrinho que pegou em cheio no tornozelo do sul-coreano Kim Bo-Kyung, que por sorte não se machucou. Cui Peng já tinha amarelo, mas o árbitro mostrou o vermelho direto. No final da partida, o Shandong tinha recebido seis amarelos e um vermelho.

Com o adversário entregue, o Cerezo fez 4x0 com Shu Kurata, que tabelou com Daisuke Takahashi e passou por dois defensores antes de finalizar. Poderia ter saído o quinto, sexto gol tranquilamente, não fosse pelo goleiro Yang Cheng, que fez pelo menos quatro grandes defesas e evitou uma goleada maior.


Grupo H - Kashima Antlers 2x1 Sydney FC
10/05/2011 - Estádio Nacional de Tóquio - Público: 3.164

Osako (9) fez um dos gols do Kashima / Foto: Site oficial do Kashima Antlers

O já classificado Kashima Antlers recebeu o já eliminado Sydney FC em sua casa temporária, o Estádio Nacional de Tóquio, e sofreu para vencer. Numa partida que não valia muita coisa, o Kashima ainda tinha a esperança de conquistar o primeiro lugar do grupo e jogar em casa nas oitavas de final - que é em partida única.

Porém, quem saiu na frente foi o Sydney, com um gol de cabeça do zagueiro Matthew Jurman no primeiro tempo, após cobrança de escanteio. Na segunda etapa, o Kashima empatou com o atacante da seleção olímpica Yuya Osako. A cinco minutos do fim, Nozawa fez o gol da suada vitória em uma cobrança de falta. Ele chutou por baixo e a bola foi no cantinho.

Apesar do resultado, o Kashima teve que se contentar com o segundo lugar do grupo, pois o Suwon Bluewings venceu o Shanghai Shenhua por 3x0 e, com um saldo de gols melhor, classificou-se como primeiro do grupo.


Oitavas de Final
Essa fase do torneio é decidida em jogo único - o time que ficou em primeiro no seu grupo tem a vantagem de jogar em casa. Caso persista o empate, haverá prorrogação e pênaltis. Nas quartas de final e semifinais, são jogos de ida e volta, e a final é em jogo único. Os confrontos das oitavas (dias 24 e 25 de maio) serão:

Sepahan (Irã) x Bunyodkor (Uzbequistão)
Al Sadd (Qatar) x Al Shabab (Arábia Saudita)
Al Ittihad (Arábia Saudita) x Al Hilal (Arábia Saudita)
Zob Ahan (Irã) x Al Nasr (Arábia Saudita)
Gamba Osaka x Cerezo Osaka
FC Seoul (Coreia do Sul) x Kashima Antlers
Jeonbuk Motors (Coreia do Sul) x Tianjin Teda (China)
Suwon Bluewings (Coreia do Sul) x Nagoya Grampus

sábado, 7 de maio de 2011

Yokohama Marinos 3x2 Avispa Fukuoka: Virada sensacional e vice-liderança para o Marinos

Yuji Ono, de 18 anos, saiu do banco para decidir o jogo / J.league Photos

O Yokohama Marinos conseguiu sua primeira vitória em casa na temporada, com uma incrível reação depois de começar perdendo por 2x0, e agora subiu para segundo lugar na tabela da J-League 2011. O Avispa Fukuoka completou cinco derrotas em cinco jogos e, segurando a lanterna, só tem a lamentar mais uma virada sofrida no segundo tempo.

Se contasse apenas o primeiro tempo dos jogos até agora, o Avispa estaria invicto sem ter sofrido nenhum gol na temporada - teria vencido Kashima Antlers e Yokohama Marinos e empatado com Albirex Niigata, Shimizu S-Pulse e Vegalta Sendai. Para frustração ainda maior do torcedor, a equipe do técnico Yoshiyuki Shinoda até conseguiu ser melhor que o adversário em vários momentos no início dos jogos, mas chega o segundo tempo e a coisa desanda. Foram cinco gols sofridos nos 15 minutos finais, média de um por jogo.

Formação inicial das equipes

O Marinos veio com apenas uma alteração com relação ao time que venceu o Urawa Reds na rodada passada: A jovem promessa Yuji Ono, que não vinha jogando bem, deu lugar ao veterano Masashi Oguro no ataque. O Avispa veio desfalcado de dois jogadores importantes no meio-campo: Sho Naruoka e Kosuke Nakamachi. O atacante Hisashi Jogo, que vinha sendo a referência na área - e não dando certo -, esteve mais recuado desta vez, como um meia ofensivo. Jogo mostrou que sua melhor posição é realmente mais recuado, e marcou duas vezes no primeiro tempo.

O time visitante não teve medo de atacar, e quase marcou em um escanteio - a cabeçada de Okamoto acertou o travessão, enquanto o goleiro Iikura ficou só olhando. O Yokohama também perdeu uma boa chance, quando o cruzamento de Kobayashi encontrou Oguro livre na área, que chutou de primeira, de voleio, mas o goleiro conseguiu defender e mandar pra escanteio. O gol do Avispa veio aos 31 minutos em um contra-ataque: Jogo recebeu a bola ainda no campo de defesa, driblou Nakamura e foi avançando; depois de uma tabela com Yusuke Tanaka, o camisa 10 recebeu livre na área e concluiu bem, sem chances para o goleiro.

Aos 42, o lateral sul-coreano Kim Min-Je cruzou rasteiro pela esquerda e Jogo apareceu no meio da área para concluir de primeira, chutando cruzado no canto esquerdo de Iikura, que mais uma vez não teve nem chance de fazer a defesa: 2x0. A torcida de Fukuoka fazia a festa; é bem possível que até os mais pessimistas esperavam pelo menos um empate depois de um primeiro tempo tão bom.

Porém, foi só começar a segunda etapa e tudo mudou. Mesmo sem fazer nenhuma alteração, o Marinos foi pra cima e conseguiu diminuir segundos após o pontapé inicial. Kobayashi fez um lançamento pelo lado direito, Taniguchi deixou passar para Oguro, que deu um toque pra cima e Watanabe apareceu na área para cabecear; a bola encobriu o goleiro e foi parar no fundo das redes. Um gol logo depois do intervalo era tudo que o Yokohama queria para pressionar não só em busca do empate, mas da vitória.

O Avispa não recuou, continuou indo pro ataque e por pouco não saiu o terceiro. Jogo poderia ter feito um hat-trick, mas Iikura apareceu bem para defender quando foi requisitado. Do outro lado do campo, o goleiro Komiyama também fazia boas defesas e salvava seu time.

Yuji Ono, atacante de 18 anos que também faz parte da seleção olímpica do Japão, entrou aos 11 minutos no lugar de Oguro, e aos 32 deixou sua marca: ele avançou pelo lado esquerdo e passou para Taniguchi, que recebeu na área de costas para o gol. O volante devolveu para Ono, que chegava de trás e chutou de primeira; a bola foi alta, no canto, quase no ângulo: um golaço pra deixar tudo igual no Nissan Stadium e incendiar a torcida local.

Quatro minutos depois veio a virada: Hyodo recebeu de Nakamura e chutou; a bola bateu no goleiro e ia passando na frente do gol. O zagueiro Kim Kun-Hoan - que havia entrado no lugar de Watanabe e curiosamente jogou no ataque - se esticou pra pegar o rebote, mas o defensor do Avispa foi mais rápido; a bola sobrou para Ono que, mesmo sem ângulo, encheu o pé pra fazer 3x2.

Foi uma partida cheia de gols bonitos e três pontos merecidos para o Yokohama Marinos, que está agora na vice-liderança da liga a apenas um ponto do primeiro colocado, que voltou a ser o Kashiwa Reysol. A atuação de hoje do Avispa Fukuoka, possivelmente a melhor da temporada, fora de casa contra um candidato a brigar na parte de cima da tebela, pode dar alguma esperança de que o time possa se salvar, mas a segunda divisão ainda parece o destino mais próvável para o ano que vem. Pelo menos enquanto eles continuarem dando chance aos adversários nos minutos finais. Um pouco de sorte também iria bem.


Completando a 10ª rodada, o Vegalta Sendai empatou com o Cerezo Osaka ao sofrer um gol aos 48 do segundo tempo e perdeu a liderança, que foi retomada pelo surpreendente Kashiwa Reysol: o time do técnico Nelsinho Baptista, que também tem Jorge Wagner e Leandro Domingues, não se abalou com a derrota na última rodada e venceu bem o Urawa Reds no Estádio Nacional de Tóquio. O ex-jogador do São Paulo fez um dos gols na vitória por 3x1. Confira todos os resultados da rodada:

Sanfrecce Hiroshima 1x1 Ventforet Kofu
07/05/2011 - Hiroshima Big Arc, Hiroshima - Público: 12.481

Yokohama Marinos 3x2 Avispa Fukuoka
07/05/2011 - Nissan Stadium, Yokohama - Público:13.520

Júbilo Iwata 4x0 Montedio Yamagata
07/05/2011 - Yamaha Stadium, Iwata - Público: 8.960

Vissel Kobe 1x0 Kawasaki Frontale
07/05/2011 - Home's Stadium Kobe, Kobe - Público: 10.364

Omiya Ardija 0x0 Albirex Niigata
07/05/2011 - NACK 5 Stadium, Saitama - Público: 9.094

Nagoya Grampus 1x1 Shimizu S-Pulse
07/05/2011 - Mizuho Athletic Stadium, Nagoya - Público: 11.559

Kashiwa Reysol 3x1 Urawa Reds
07/05/2011 - Estádio Nacional de Tóquio - Público: 24.222

Cerezo Osaka 1x1 Vegalta Sendai
07/05/2011 - Kincho Stadium, Osaka - Público:11.576

Kashima Antlers x Gamba Osaka (adiado)
27/07/2011 - Kashima Soccer Stadium, Kashima

quarta-feira, 4 de maio de 2011

ACL: Resumo da 5ª rodada

Grupo E - Melbourne Victory 1x1 Gamba Osaka
04/05/2011 - Docklands Stadium, Melbourne, Austrália - Público: 7.437

Dos quatro japoneses que disputam a Liga dos Campeões da Ásia, o Gamba Osaka é o que tem mais experiência - foi campeão em 2008 -, mas é o que está na situação mais difícil para se classificar. A única coisa definida no Grupo E é que o Tianjin Teda, da China, está classificado, com a vitória por 3x0 contra o Jeju United, da Coreia do Sul. A segunda vaga está em aberto e ninguém está eliminado ainda.

No jogo de hoje contra o Melbourne Victory, o Gamba conseguiu apenas um empate, apesar de ter facilmente vencido a mesma equipe por 5x1 na estreia. Os australianos saíram na frente logo aos 12 minutos em uma jogada de escanteio, onde o zagueiro e capitão Adrian Leijer marcou de cabeça. A partir daí, os japoneses pressionaram até marcar o gol de empate no final do primeiro tempo, também com um zagueiro, Sota Nakazawa.

O empate persistiu até o final, o que deixou o Victory ainda vivo na disputa pela classificação. Na última rodada, o Gamba depende das próprias forças para avançar: precisa vencer em casa o já classificado Tianjin Teda, enquanto Jeju e Melbourne duelam na Coreia torcendo por um resultado negativo dos japoneses.



Grupo F - Nagoya Grampus 1x0 Hangzhou Greentown
04/05/2011 - Mizuho Athletic Stadium, Nagoya, Japão - Público: 13.767

O Nagoya Grampus garantiu a sua classificação para as oitavas de final com uma vitória suada contra o Hangzhou Greentown. Os chineses vieram dispostos a se defender, mas também tentar surpreender nos contra-ataques, afinal uma derrota significava a eliminação para eles. O Nagoya veio cheio de desfalques e não pode contar com Tulio, Danilson, Yoshimura, Burzanovic, Kanazaki e Kennedy, desfalques importantes em todos os setores.

O único gol da partida aconteceu aos 30 minutos do segundo tempo, depois que Hikaru Kuba recebeu um belo lançamento livre na área e foi derrubado pelo goleiro assim que dominou a bola. O árbitro marcou pênalti e Fujimoto foi para a cobrança. Ele bateu com precisão, rasteiro no canto direito do goleiro, que havia sido deslocado para o outro lado. Porém, o juiz mandou voltar alegando invasão na área. Fujimoto cobrou novamente, no mesmo canto e, embora o goleiro tenha adivinhado o lado na segunda tentativa, o chute foi bem colocado, fora do seu alcance.

Apesar de toda a pressão do Hangzhou no final, o jogo terminou 1x0, classificando os japoneses e eliminando os chineses. Na outra partida do grupo, o FC Seoul venceu em casa o Al Ain por 3x0 e também está classificado. A próxima rodada será apenas para decidir o primeiro e segundo lugares do grupo. Dia 11 de maio, o Nagoya jogará nos Emirados Árabes Unidos contra o Al Ain e o Hangzhou Greentown recebe o FC Seoul.



Grupo G - Arema 0x4 Cerezo Osaka
03/05/2011 - Kanjuruhan Stadium, Malang, Indonésia - Público: 4.000

O Cerezo Osaka foi até a Indonésia jogar contra o já eliminado Arema e não teve dificuldades para golear. O primeiro gol veio aos 30 do primeiro tempo, numa rápida troca de passes de Inui para Kurata, que deixou de calcanhar para Kiyotake, que driblou dois zagueiros e chutou rasteiro, no canto. Aos 43 saiu o segundo, numa jogada que começou com uma roubada de bola de Martinez no meio-campo. Inui recebeu, arrancou em velocidade até a intermediária e serviu Rodrigo Pimpão, que invadiu a área e chutou cruzado. O brasileiro finalmente desencantou depois de seis jogos em branco. Ele havia marcado antes (duas vezes) apenas em sua estreia, que foi justamente no primeiro jogo contra o Arema.

No segundo tempo, aos 41 segundos saiu o terceiro gol. Maruhashi recebeu um passe na linha de fundo e cruzou para Inui, que apareceu no meio da área, pegou de primeira com o pé direito e fez 3x0. Aos 15 minutos, Chugo deu um passe para Inui, que recebeu dentro da área no meio dos zagueiros e em um instante já estava na cara do gol: 4x0 e goleada decretada.

Um fato curioso é que haviam muitos indonésios no estádio torcendo para o Cerezo, devidamente uniformizados com a camisa do time de Osaka. Os japoneses precisam vencer ou empatar contra o Shandong Luneng de Obina e Renato Silva na próxima rodada para garantir a vaga na próxima fase. No outro jogo da rodada, o Jeonbuk Motors derrotou o Shandong por 2x1 e já está classificado.


Grupo H - Kashima Antlers 2x0 Shanghai Shenhua
03/05/2011 - Estádio Nacional de Tóquio, Japão - Público: 11.954

Assim como o Nagoya Grampus, o Kashima Antlers venceu em casa o Shanghai Shenhua, da China, e garantiu a sua classificação para a próxima fase. Os chineses, que têm sido lembrados mais pela violência e entradas duras do que pelo futebol jogado, estão eliminados sem ter vencido nenhuma partida.

O herói do dia foi Shinzo Koroki, que vinha sendo mais lembrado pelos gols que perdia do que pelos que fazia. Desta vez o torcedor não vai ter do que reclamar, já que ele jogou bem e marcou duas vezes na vitória por 2x0. O primeiro foi aos 34 minutos da etapa inicial, quando Ogasawara cobrou uma falta e cruzou na área; Koroki desviou de cabeça e a bola passou entre as pernas do goleiro. O segundo gol também foi aos 34 minutos, mas no segundo tempo: Nozawa cobrou escanteio, Fellype Gabriel cabeceou e o goleiro chinês mergulhou para defender; Koroki foi mais rápido e se esticou para pegar o rebote quase em cima da linha e mandar pras redes.

O outro classificado do grupo é o Suwon Bluewings, que venceu em casa o Sydney FC por 3x1, eliminando os australianos. Os jogos da última rodada, na próxima terça-feira, decidirão apenas quem passa em primeiro e quem passa em segundo. Os confrontos serão Kashima Antlers x Sydney FC e Shanghai Shenhua x Suwon Bluewings.